IRDEB - Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia
TV Rádio Notícias Interatividade

Histórico de outubro de 2015

out
29

Nelson Mandela é tema de exposição!!

Postado por soteropolis

HOJE, no Soterópolis, ás 21h na TVE Bahia e no site www.irdeb.ba.gov.br

Por: Caroline Vieira.

A Caixa Cultural inaugurou na semana passada a exposição Mandela Em Cartaz. A mostra reúne 95 cartazes de designes do mundo todo. A curadoria realizada pelo projeto Mandela Poster Project procurou expressar as mais diversas leituras artísticas deste importante líder humanitário.

A curadora Ruth Klotzel organizou a exposição pensando no público brasileiro, especialmente o recorte trazido para a Salvador, capital mais negra do Brasil. Aqui foi desenvolvida uma linha do tempo onde o espectador pode ter acesso à vida e a história de Mandela, além de vídeos e livros sobre o Sul-Africano.

Neto de um líder do povo Thembu, Mandela foi um dos poucos homens a incorporar em suas ações o significado da palavra conciliação. O primeiro presidente negro da história incluiu como proposta principal da sua pauta política a formação de uma comissão da verdade. O gesto representou a luta pela paz entre negros e brancos dentro do continente africano.

out
29

Para cada som, um chá diferente.

Postado por soteropolis

Por: Caroline Vieira.

Imagine um evento que mistura música eletroacústica e chá. Achou estranho? Tudo bem, nós compreendemos. Afinal, a primeira vista a história parece meio esquisita mesmo.  Mas sugerimos que comece a vasculhar a internet para conhecer melhor o Coletivo Paulista MNE. Esta galera antenada, trabalha com  música eletroacústica, que utiliza sons produzidos por sintetizadores, buscando a elaboração do som a partir de suas propriedades físicas. A primeira experimentação foi realizada na França por Pierre Schaffer em 1948.

Como se não bastassem as combinações sonoras, o grupo, em parceria com Projeto Música Agora na Bahia, organizou um experimento inusitado e inédito, realizado no teatro do ICBA, envolvendo audição de músicas inspiradas nas essências dos mais variados chás.

Isto mesmo, as músicas foram produzidas tendo como referência chás comuns como Capim Cidreira, Camomila, Erva doce, até o Chimarrão não escapou. O público compareceu e curioso participou saboreando as infusões  que inspiraram as produções das músicas.

Assista a matéria e veja que a cidade de Salvador pode oferecer opções de lazer mais enigmáticas e interessantes.

out
29

BAIANIDADE NAGÔ?

Postado por soteropolis

Por Edinaldo Junior

 

Nos tempos atuais, a gente discute como a identidade baiana é transformada.

Nos traços de Carybé, nos livros de Jorge Amado, nas músicas de Dorival Caymmi ou até mesmo nas letras da axé music. Em todos estes objetos, uma Bahia é contada e reinventada. Uma Bahia tranqüila, letárgica, dengosa… Com seus quitutes, festas de largo. Do sagrado ao profano, da Cidade Alta a Cidade Baixa. Obediência e transgressão, tradição e contemporaneidade. Tensões que nos fazem repensar o modelo forjado durante décadas para construção da identidade baiana.

Mas será que podemos falar em uma única identidade baiana? Como percebemos nossos traços tão caricaturais? E nós baianos, como reagimos ou lidamos com essa construção social? Quais as questões que permanecem e aquelas que são rasuradas neste modelo?

Não se avexe que nada é pra agora. Todas as perguntas nós do Soterópolis vamos responder. A gente convida você a mergulhar nessa tal baianidade e investigar junto com a gente como nossa identidade se transforma nos tempos de hoje. A reportagem feita por Marilia Randam esteve nas ruas para ouvir dos baianos como eles enxergam esse modelo forjado. Conversamos também com especialistas no assunto, pesquisadores que se dedicam ao tema e entendem como os elementos da cultura baiana são múltiplos e se espalham na capital, no interior e também fora do território baiano.

 

out
29

FILMES CURTÍSSIMOS SÃO APRECIADOS EM SALA DE CINEMA

Postado por soteropolis

Por Denise Dias Rabelo

 

As salas escuras de projeções cinematográficas não são mais espaços exclusivos para exibições de longas-metragens. Há algum tempo o teatro começou a flertar com esses espaços e os curtas-metragens também têm mostrado as caras. Mas você já pensou em ir ao cinema para assistir exclusivamente filmes curtos? O Festival Internacional de Filmes Curtíssimos aposta nisso.

O Festival nasceu na França, em 1998. No Brasil, o evento está na 8ª edição. Este ano, percorreu cinco capitais brasileiras, Rio de Janeiro, Curitiba, São Paulo, Belo Horizonte e Salvador, além da já tradicional passagem por Brasília.

A etapa soteropolitana foi realizada nos dias 19 e 20/10, na Sala Walter da Silveira. O Festival reuniu exibiu trabalhos de realizadores baianos e produções de até três minutos vistas em mais de 100 cidades do mundo, entre documentários, exemplares de ficção, animações e clipes.

Na lista dos filmes da Bahia estavam: Homem Doim, de Fausto Júnior; Avatar-Tour, de Sebáh Villas Boas; Morro, de Eudaldo Monção; O babado da Toinha, de Julia Aguiar, André de Oliveira e Cauê Rocha; Na Cidade, de Glauco Neves; e Janela de Naim, de Daniel Leite Almeida .

 

Saiba os detalhes do Festival nas redes sociais:

http://filmescurtissimos.com.br/

https://www.facebook.com/FilmesCurtissimos

https://twitter.com/curtissimos

https://i.instagram.com/filmescurtissimos/

 

doim-1

out
22

RACISMO E ESCRAVIDÃO EM DEBATE

Postado por soteropolis

Por Denise Dias

 

Entre os dias 14 e 18 de outubro, a rotina da cidade de Cachoeira foi sacudida pela 5ª edição da Flica, Festa Literária Internacional de Cachoeira. Milhares de pessoas acompanharam o evento que este ano homenageou o escritor Antônio Torres, membro da Academia Brasileira de Letras. A TVE marcou presença no evento com reportagens, flashes e transmissões ao vivo pela web.

A equipe do Soterópolis acompanhou algumas discussões, entre elas a mesa “Etnias, resistências e mitos”, mediada pelo curador do evento, Aurélio Schommer. No debate, os historiadores Cacau Nascimento, de Cachoeira, e Tâmis Parron, de São Paulo, rememoraram o período escravagista brasileiro e seus desdobramentos na sociedade atual.

A escravidão foi tema da dissertação de Mestrado em História pela USP de Tâmis Parron. Ele defende que a escravidão estruturou a estabilidade brasileira no século XIX.

O escritor Cacau Nascimento é mestre em estudos étnicos e africanos pela Universidade Federal da Bahia. Para ele, a religiosidade e a cultura do povo negro se estabeleceram no Brasil como resistências surdas. Cacau Nascimento acredita também que o racismo de hoje traz reflexos da escravidão de outrora.

 

flica

out
21

Amanhã tem Soterópolis!!!

Postado por soteropolis
out
21

Amanhã tem Soterópolis, ás 21H!!!

Postado por soteropolis

TESTE_1_

out
21

ATENÇÃO!

Postado por soteropolis

A partir desta quinta-feira, com o horário de verão deste ano, aplicado em parte dos estados brasileiros, o Soterópolis será exibido uma hora mais cedo, às 21h!

out
21

EM CADA AZULEJO MUITA HISTÓRIA PRA CONTAR

Postado por soteropolis

Por Vânia Dias

 

Você já parou pra pensar que um simples azulejo na sua casa ou nas faixadas de Igrejas pode ter muita história pra contar? Cores, tamanhos, pinturas e técnicas marcam épocas e assinam na história marcas de uma arte muito cultivada no passado, mas pouco cultuada e conhecida nos dias de hoje. Foi assim, com a disposição de motivar e despertar o olhar para a pesquisa do ceramista alemão Udo Knoff que o Museu de Azulejaria e Cerâmica volta a receber as visitas do público. O Soterópolis aproveitou este momento de reabertura e foi conhecer de pertinho  o novo espaço.

O museu dispõe de dois ambientes ocupados por materiais referentes à arte da cerâmica e do azulejo e expõe as peças criadas pelo ceramista Udo Knoff – idealizador do museu -, proporcionando uma visão cronológica da existência do azulejo disposta do século XV ao XX, incluindo sua chegada ao Brasil, no século XVII.

O Museu Udo Knoff de azulejaria e cerâmica é o resultado da coleção particular do ceramista Udo, radicado na cidade de Salvador, desde o ano de 1952. Pra ficar por dentro das novidades do Museu e também pra conhecer um pouco da história da ajulejaria, você não pode perder o Soterópolis desta semana. O nosso papo com Renata Alencar, Diretora do Museu, e com Zeila Machado, restauradora, é esclarecedor e informativo.

O nosso encontro está marcado. A gente se vê na telinha da TVE-BA, às 21h. (Uma hora mais cedo por conta do horário de verão)! Até lá!!

 

 

out
20

Nesta quinta-feira tem Soterópolis, com uma matéria sobre o Panorama Internacional Coisa de Cinema, com Cláudio Marques!!

Postado por soteropolis

IMG-20151019-WA0011

Governo da Bahia  ©2017 | IRDEB - Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia. Secretaria da Educação do Estado da Bahia.