IRDEB - Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia
TV Rádio Notícias Interatividade

Histórico de dezembro de 2012

dez
13

No Atto

Postado por soteropolis

Equipe Soterópolis e Paulo Atto

Hoje no Soterópolis eu bato um papo com amigos e colegas do diretor teatral Paulo Atto. Falo também com o próprio sobre sua carreira e os planos para o futuro. Paulo Atto representa a abertura do teatro baiano para o mundo, com atuação em vários países como Rússia, Espanha e Estados Unidos. Paulo nos conta também como começou no teatro e sobre o lançamento do seu mais novo livro. Não percam!

Escrito por Ricardo Castro

dez
12

É de encontrar, compor e ser composto!

Postado por soteropolis

Encontro de Compositores - Foto Teatro Vila Velha

Olá, olá!! Estou de volta esta semana para escrever sobre um  assunto que me enche de orgulho e de satisfação: o Encontro de Compositores!!! Você já ouviu falar? Se não, corre até o Cabaré dos Novos, no Teatro Vila Velha, toda a última quinta-feira do mês e vá já conhecer.
Se você, como eu, já marcou presença, vai saber do que estou falando… o Encontro é um lugar mágico. É uma roda feliz de pessoas que cantam entre si, conversam, improvisam, e, espontaneamente, falam de suas vidas, de suas experiências e de seus processos de composição. Um monte de gente fera, desnudando as suas inspirações, os seus amores, as suas angústias e inquietações de um jeito tão requintado e tão cheio de melodia e poesia que é contagiante. A alma fica ébria de música.

O Encontro tem sempre um algo a mais de novidade. É sempre atual. O que garante, ao longo destes 2 anos e meio de temporada, um público motivado a voltar, a convidar e a partilhar. A configuração do espaço, que deixa os compositores espalhados pelo Cabaré, faz da plateia o centro. E, de cada canto, ecoa um instrumento, uma voz e uma interpretação diferente.

Jarbas Bittencourt, Arnaldo de Almeida, Manuela Rodrigues, Sandra Simões, Ronei Jorge, Dão, Pietro Leal, Thiago Kalu, Carlinhos Cor das Águas e Deco Simões são os artistas que fazem parte do time fixo desse projeto. Eu bati um papo com alguns deles e mostrei um pouquinho desta magia que envolve este Encontro que é deles, mas é também nosso. É de compositores, mas é também de compor e de ser composto! Não perca o nosso SOT desta quinta-feira!!! A gente se vê, às 21h, na TVE Bahia!!!!

Escrito por Vania Dias

dez
12

Jogo da Memória

Postado por soteropolis

 

Jogo da Memória - Foto Teatro Sesi

Se você pudesse voltar atrás, o que faria? Suas escolhas seriam diferentes? Você gostaria de ter mais tempo para dedicar a outras funções? Essas e outras perguntas são postas em cena no espetáculo Jogo da Memória, em cartaz no Teatro Sesi até o dia 16 de dezembro.

O Soterópolis conversou com George Mascarenhas e Deborah Moreira, os atores que interpretam os 8 ou mais personagens que podem surgir durante o texto.

Levamos os dois, que são casados na vida real, para uma delicatessen, local de compras onde a memória é bastante requisitada, para conversar sobre o atual trabalho da Companhia Mimus de Teatro.

A companhia ainda mantém gratuitamente a Revista online Mimus, de mímica e teatro físico, disponível na internet.

Acesse:  http://www.mimus.com.br/

Escrito por Érica Fernandes

dez
8

Cachoeira e a Sétima Arte

Postado por soteropolis

Você sabe o que a cidade de Cachoeira, localizada no recôncavo baiano, tem em comum com o cinema? Muitas pessoas desconhecem que ela já foi locação (e continua sendo) para vários filmes nacionais como “O  Mágico e o Delegado”, de Fernando Coni, “O Carroceiro”, de Ney Aragão, “Mr. Abracadabra”, de José Araripe, entre outros. No entanto, sua relação com a sétima arte vai muito além de emprestar suas belezas naturais e arquitetônicas para as produções fílmicas.

Sempre houve um interesse dos cachoeiranos pelo cinema que, depois da criação do curso de  Cinema e Audiovisual da Universidade Federal do Recôncavo, foi revitalizado. Os alunos da UFRB estão movimentando o cenário audiovisual baiano com suas produções que saem das salas de aulas direto para os grandes festivais de cinema nacional, como é o caso de Leon Sampaio e Ohana Almeida, estudantes de cinema da UFRB premiados com suas produções, respectivamente, com “O Cadeado” (veja o teaser do filme aqui!) e “Rua dos Bobos”.

Nesse momento, tão propício para essa arte, os cineclubes cachoeiranos ratificam a sua importância social e cultural para a cidade, já que além de promover debates sobre as exibições fílmicas (que para muitas pessoas são o primeiro contato com o cinema), começam a interferir na vida dos associados. O clube que funciona no Centro de Educação e Cultura Vale do Iguape – CECV, por exemplo, ajuda jovens carentes a traçar um futuro diferente dentro do audiovisual. Lá, eles aprendem sobre edição, filmagem e já sonham com uma realidade que antes talvez fosse impossível alcançar. Um sonho que já foi realizado para Cachoeira foi a reforma do Cine Teatro Cachoeirano. O prédio antigo que estava desativado a quase duas décadas devido a uma enchente, hoje está totalmente reconstruído, esperando apenas a reposição do maquinário de projeção para voltar a divertir as comunidades banhadas pelo Rio Paraguaçu.

Escrito por Maria Rita Werneck

dez
6

BIENAL DO RECÔNCAVO – A festa das artes visuais baiana

Postado por soteropolis

A XI edição da Bienal do Recôncavo movimentou a cidade de Cachoeira e o Município de São Félix, onde está localizado o Instituto Cultura Dannemann, no penúltimo sábado do mês de novembro. Por lá passaram várias gerações de artistas de Salvador, São Paulo, Rio de Janeiro e até de fora do Brasil como os que vieram do México e de Sidney, na Austrália. A grande premiada da noite, a artista Flora Rebollo, com os desenhos Chapéu Mosquiteiro e Interior de Chapéu, da série Cortina Vermelha, foi contemplada com uma viagem para Milão, onde estudará artes visuais, sob a tutela do professor Italiano Antônio D’Avossa.

Série Cortina Vermelha - Flora Rebollo

O prêmio do Instituto Sacatar – Residência Artística foi para as artistas locais Nerize Portela e Lílian Balbino dos Santos, com a videoarte A Bailarina dos Trilhos. Além das menções especiais e dos prêmios de aquisição dados aos artistas de Salvador, da região do Recôncavo e fora do estado. A Bienal confirmou a máxima de ser um caleidoscópio da arte produzida hoje no Brasil. Instalação, performance, desenho, pintura, escultura, todas as linguagens artísticas foram contempladas nesta mostra que se quer diversa e aberta aos jovens criadores. Na época da primeira Bienal realizada em 1992, Marepe, ainda desconhecido do grande público e no início da carreira, foi o grande vencedor. Hoje, o artista transita entre nomes e eventos importantes de arte contemporânea, como a Bienal de Veneza, além de dar visibilidade para a produção artística que se faz na Bahia.

Escrito por Carol Vieira

dez
6

Faz-se filmes

Postado por soteropolis

Equipe TVE e irmãos do projeto "Faz-se Filmes"

No Soterópolis de hoje eu entrevistei os irmãos Violeta e Gugui Martinez. Ela, estudante de cinema da UFRB e, ele, na mesma instituição, estuda artes visuais. Juntos desenvolvem em Cachoeira um projeto muito bacana intitulado FAZ-SE FILMES. A ideia é questionar o fazer filmes. Com uma barraca na feira da cidade eles convidam as pessoas a fazerem o filme da sua vida. Seja ele qual for. Longas, curtas ou mesmo um desabafo para ser enviado a um ex-namorado tá valendo! Filmam casamentos, batizados, festas e o que mais o cliente desejar! E para deixar o projeto ainda mais interessante, cobram apenas R$1,99 pelo filme! Para saberem mais sobre esse projeto vocês não podem perder o nosso programa nessa quinta às 21h. Ainda mostraremos para todos a XI Bienal do Recôncavo, na cidade de São Felix, a fé, a comida e a música da região. Assistam e depois contem pra gente o que acharam. Beijo gigante!

Escrito por Ricardo Castro

dez
5

Cachoeira, uma cidade-cinema!

Postado por soteropolis

Alô, alô, salve, salve, leitores e amigos virtuais do Soterópolis! Desta vez o nosso programa fez pouso no Recôncavo Baiano. Fomos pra terra da maniçoba viver um pouco das cidades de Cachoeira e São Félix e acompanhar o que está rolando de atividade cultural por lá.

O charme do chão de asfalto enrrugadinho – como eu chamava na infância – e o Paraguaçu que contorna a cidade motivam-nos a imaginar por quantos lugares este rio também passeia. Quanto segredo de tanta gente lhe deve caber e levar correnteza afora…

Cachoeira - BA

A vida do Recôncavo ganhou, com a instalação da Universidade Federal de lá, uma cara mais dinâmica. Um misto de sabedoria popular com academia. Gente nova em todas as suas animações e sonhos (re)unidos por um novo jeito de produzir arte…. Foram dias incríveis!!! A gente passeou, conversou, conheceu um pouquinho de cada canto dessas cidades e resumiu em um Soterópolis cheio disso tudo pra vocês!

Eu conversei com professores e estudantes sobre a cidade-cinema. Cinema, porque Cachoeira em si, sem enfeite ou adereço, é cenário cinematográfico e, agora, com os cursos de arte e cinema, retoma a sétima arte de diversas formas criativas e com poucos recursos.

Gente iniciante com gente experiente, professores e estudantes, gente de lá com gente de fora! Estas intercessões de experiências dão vida a novos cineclubes que, além de produzir, também leva à reflexão quem assiste.  Esta arte que diverte e, ao mesmo tempo, faz “(re)pensar-se” a vida e o diante dela.

Vocês não podem e, imagino que, não querem perder, né?! A gente se encontra nesta quinta-feira, às 21h! Vou nessa, “lightmente”, mas volto semana que vem com mais novidades!! Beijão!!!!

Escrito por Vania Dias

Governo da Bahia  ©2017 | IRDEB - Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia. Secretaria da Educação do Estado da Bahia.