IRDEB - Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia
TV Rádio Notícias Interatividade
set
18

BELEZA SÃO COISAS ACESAS POR DENTRO…

Postado por soteropolis

Por Vania Dias

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

 

O Soterópolis conversou com artistas e pesquisadores em arte para discutir a relação do feio com o mundo artístico. O que o feio pode provocar em uma obra? Qual a diferença entre o feio e a representação do feio? Você já pensou sobre isso?

O “feio” foi banido do território artístico durante séculos, mas, especialmente, no século XIX, vem a ser reabilitado no momento em que a arte rompe com a ideia de ser cópia do real para ser considerada criação autônoma capaz de falar ao sentimento. Para falar deste assunto, ouvimos o ponto de vista filosófico do professor da UFBA em filosofia da arte, Antonio Saja. Ele destacou que a arte não tem compromisso com o “bonitinho”, no sentido da aparência das coisas, mas tem compromisso com a beleza e com a tentativa de “desestranhar” o mundo.

O artista visual, Juarez Paraíso, fez questão de explicar o relativismo do belo, especialmente, com a chegada da arte moderna e a ruptura do naturalismo. Ainda sob o olhar especializado de Juarez, ele apontou o nome de diversos artistas que trabalham com as variações do feio na arte: Jenny Saville, Marc Quinn, Umberto Bocciolo…uma verdadeira aula sobre o assunto.

Todas as pessoas escutadas lembraram de um artista baiano que desenvolve um trabalho especial nessa temática, Sante Scaldaferri, que para além do propósito de querer agradar, inspirou o estudo e pesquisa do professor Aldo Tripodi no texto a “Poética do Feio”. Cada entrevistado acrescentou a sua experiência, o seu olhar e as suas reflexões a partir deste lugar subjetivo que envolve o feio e os seus derivados.

Será que a questão do feio está realmente implícita na problemática do belo? Para saber, basta nos acompanhar, logo mais, no Soterópolis. Quinta-feira, às 22h e domingo, às 17h30!!!! A gente se encontra na tela da TVE-BA!!!!

set
18

HILDEBRANDO DE CASTRO

Postado por soteropolis

O artista Hildebrando de Castro sempre operou no terreno da representação figurativa para suas pinturas. Era característica sua a pintura de elementos mais humanistas ou humanizados. Agora, na sua nova exposição, ele explora também a composição geométrica da arquitetura modernista.

 

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

 

Inspirado pelos brise-soleils (lâminas móveis que impedem o sol de incidir diretamente) dos prédios de Brasília, o artista rompeu com sua trajetória figurativista. Segundo Hildebrando: “o figurativismo também continua no mesmo lugar. Apenas recorto um detalhe da arquitetura, a composição geométrica”.

A Mostra traduz ilusões em cor, forma e luz no trabalho do artista. A série Janelas marca uma ruptura na trajetória de Hildebrando, mas só até certo ponto. A geometria é uma novidade, já que ele une o construtivismo ao seu figurativismo clássico, mas o ato fotográfico continua como inspiração para a concepção de suas pinturas.

A exposição representa a união do figurativismo com o construtivismo abstrato e está aberta a visitação na Paulo Darzé Galeria até 20 de setembro.

 

set
17

ABERTAS AS INSCRIÇÕES DO BOCA DE BRASA EM ITAPUÃ

Postado por soteropolis
Foto: Alessandra Nohvais

Foto: Alessandra Nohvais

Já estão abertas as inscrições para nova edição de um dos projetos culturais mais consagrados de Salvador, o Boca de Brasa. Dessa vez, os artistas do bairro de Itapuã poderão mostrar talento através das oficinas nas áreas de teatro, música, literatura e dança. Interessados devem acessar o site da Fundação Gregório de Mattos (FGM), ou se inscreverem presencialmente na Casa da Música (terça a domingo) e na sede do Bloco Malê Debalê (segunda a sexta) até o dia 22 de setembro.

Serão realizadas aulas de Audiovisual, Criação Literária, Produção Musical – Home Studio, Teatro de Rua, Elaboração de Projetos e Gestão de Grupos e Danças Urbanas. As oficinas acontecem entre os dias 24 e 27 de setembro, (quarta-feira a sábado), sendo das 18 às 22 horas entre quarta e sexta-feira, e das 14 às 18 horas no sábado na sede do Bloco Malê Debalê.

A apresentação de resultados acontece no domingo, dia 28 de setembro, divididos em atuações individuais e em grupos artísticos no caminhão-palco, equipado com estrutura completa que envolve iluminação, camarim, sonorização adequada e equipe técnica.

O projeto Boca de Brasa é uma iniciativa da Prefeitura de Salvador, através da Fundação Gregório de Mattos (FGM), órgão vinculado a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Turismo e Cultura (Sedes).

Fonte: Laboratório da Notícia

set
17

ZUARTE JÚNIOR NO SOTEATRO

Postado por soteropolis

Por Edinilson Motta Pará

O quadro SOTEATRO do Soterópolis abre uma nova série abordando o trabalho dos principais cenógrafos da Bahia. O primeiro a ser entrevistado é Zuarte Júnior.

Formado pela Escola de Belas Artes da UFBA, Zuarte tem sido um dos principias artistas voltados para cenografia teatral na Bahia, já tendo atuado como cenógrafo, aderecista ou figurinista em mais de duzentos espetáculos.

Zuarte tem trabalhado com os grandes grupos de teatro e dança baianos, como, se pode destacar:

Com o Núcleo de Teatro do TCA: A Vida de Galileu , Hamlet, Os Iks ( prêmio de cenografia), A Outra Tempestade, Joana D’Arc. ( Cenários e Figurinos);

Com o Bando de Teatro Olodum, Figurinos para: Áfricas, Sonhos de uma Noite de Verão, Bença, dentre outros;

Com O Balé do Teatro Castro Alves, O Eterno Silêncio do Começo – Cenários e Figurinos, Uaikuru ( figurinos), dentre outros.

Produções independentes, Lampião e Maria Bonita (prêmio de cenografia), Bispo do Rosário ( prêmio de cenografia), Camila Baker, O Sumiço da Santa, O Amor Comeu, Doralinas e Marias, A Ave, ( Cenários).

Além de cenários para shows em DVDs de Netinho, Adelmário Coelho, Margareth Menezes, Luis Caldas e Carlos Pita.

No cinema, é o responsável pela Direção de Arte do filme Revoada ( de José Humberto).

No quadro, Zuarte fala de sua trajetória, o conceito de cenografia e curiosidades sobre alguns cenários criados por ele.

set
17

REFLEXÕES SOBRE ARTE, CULTURA E TECNOLOGIA COM BIA MEDEIROS

Postado por soteropolis

Por Denise Dias

Não é exagero dizer que Bia Medeiros gosta de suscitar reflexões. Com um currículo recheado de títulos, essa carioca não hesita em colocar interrogações no final das frases e não se importa em criar polêmica. Bia Medeiros foi uma das palestrantes do X Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura (Enecult), realizado em Salvador, no final do mês de agosto. A equipe do Soterópolis, que também é chegada a reflexões e desconstruções, aproveitou para marcar um bate-papo. Logo no início da entrevista à repórter Vânia Dias, Bia faz questão de dissociar os conceitos de “arte” e “cultura”.

IMG_0954

Foto: Divulgação

 

Atualmente Bia Medeiros é professora da Universidade de Brasília e coordenadora do Grupo de Pesquisa Corpos Informáticos (GPCI), focado na arte contemporânea. O grupo investe no corpo humano mediado por tecnologias.

Além de participar do Enecult, Bia Medeiros integrou a 3ª. Bienal da Bahia com a Mostra Relações e Pesquisas no Campo da Sexualidade e suas Implicações Sensoriais, Políticas e Sociais.

 

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

set
16

O BRUXO PASSOU POR SALVADOR

Postado por soteropolis

Por Edinaldo Júnior

Quando a gente fala o nome de Hermeto Pascoal, logo um bocado de imagens nos vem a cabeça. Provavelmente, em alguma delas, você deve imaginar um senhor com barbas grandes grisalhas, sob um chapéu-coco e óculos escuros independente da luz que exista, tirando um som ritmado de uma chaleira. Sim, esta marca que caracteriza a versatilidade do multi-instrumentista Hermeto Pascoal mostra como esta forma de criar sons está presente na maneira como este alagoano vê o mundo.

Enxergar nas miudezas da vida uma pungência que carrega vibrações e dessas reminiscências criar algo grandioso que é a composição musical. Ainda que o improviso seja parte vibrante desta sua marca identitária, Hermeto, ao lado de Aline Morena – há 12 anos em parceria – criam o espetáculo “Som Nosso de Cada Um” nesse passo improvisado diante de uma centena de canções que completam o repertório da dupla. Vale a pena escutar um pouco a forma como este bruxa da musicalidade nos chama para atentar os ouvidos e encontrar som dentro da gente, no lugar mais íntimo do que a gente sente, a matéria humana.

Sobre o bruxo – Hermeto Pascoal nasceu em Olho d’Água das Flores e foi criado na Lagoa da Canoa, interior do estado de Alagoas. Ainda ouvindo o som da natureza, descobriu o pífano, e nesta mesma época, enveredou para a sanfona e para o pandeiro. De lá pra cá, Hermeto tornou-se é um compositor, arranjador e multi-instrumentista, com instrumentos no currículo que vão do acordeão, passando pela flauta, piano, saxofone, trompete, bombardino, escaleta, violão e diversos outros instrumentos musicais. Em outubro de 2002, durante uma oficina em Londrina, conheceu a cantora Aline Morena. Depois de uma participação, a capacidade de seguir o improviso de Hermeto criou uma relação de parceria que já dura mais de 10 anos. Oficialmente, se lançaram enquanto grupo em 2004 com o duo Chimarrão com Rapadura (gaúcha com alagoano), formado por Hermeto e Aline Morena.

Foto: Divulgação - Site / Giba Paiva Magalhães

Foto: Divulgação – Site / Giba Paiva Magalhães

 

set
16

ESPETÁCULOS DO CRIA MOVIMENTAM PELOURINHO

Postado por soteropolis
Reprodução / Facebook Cria Criando

Reprodução / Facebook Cria Criando

Salvador (BA) – Os grupos de teatro Iyá de Erê, Chame Gente e CRIA Palhaço, formados por jovens do Centro de Referência Integral de Adolescentes (CRIA) movimentam o Pelourinho esta semana com espetáculos que reúnem as linguagens do teatro, música, poesia e clown. As apresentações fazem parte do III Festival de Arte-Educação: A Cidade CRIA Cenários de Cidadania e acontecem às 18h, no Teatro Sesc-Senac Pelourinho. A entrada é de graça. Ao final de cada apresentação, o público poderá participar de um bate-papo com o elenco e convidados especiais.

18/09 (quinta-feira) – Espetáculo “Pra lá de Tempo”, do grupo Chame Gente
Sinopse: Salvador, Agosto de 1798 – Revolta dos Búzios – a primeira manifestação libertária acontecida no Brasil. Salvador, Julho de 2013 – A Revolta dos Vinte Centavos – Um marco da retomada das manifestações populares contra a ordem e o sistema. As realidades do dia-a-dia vividas nas comunidades provocam manifestações de rua que ligam a juventude de ontem e de hoje numa luta contínua pelos seus direitos. A Praça da Piedade, cenário de conquistas que atravessam gerações é um lugar comum, palco de muitas histórias que resistiram ao tempo e através dele se ressignificam a cada dia.
Convidados do bate-papo: Fernanda Julia, diretora teatral do espetáculo “Exu, A Boca do Universo” e Marcelo Rocha, coordenador de Desenvolvimento Territorial da Seplan.

19/09 (sexta-feira) – Espetáculo “Quem me ensinou a nadar”, do grupo Iyá de Erê.
Sinopse: Uma história que se passa no Pelourinho, onde mulheres guerreiras fiam um destino que começou há muitos anos. Numa época em que os negros tornaram-se malungos (irmãos) no navio negreiro, e chegaram aqui para trabalhar na construção da cidade. A narrativa continua na luta do dia-a-dia, das mães que criam seus filhos com imensa dificuldade, e na brincadeira dos meninos e meninas que inventam mundos.
Convidadas: Arany Santana, Diretora do Centro de Culturas Populares e Identitárias – CCPI e Ana Maria Gonçalves, escritora, pesquisadora e psicóloga, autora do livro “Um defeito de cor”.

20/09 (sábado) – Espetáculo “Ruth”, do Grupo CRIA Palhaço
Sinopse: O palhaço é o avesso do mundo que nos acostumamos a ver. É o mundo que descobrimos com surpresa! Ele dispensa as palavras e traz para a cena o que só pode ser captado pela ingenuidade sagaz das crianças. Por isso, é o encontro do que há de mais puro em nós. De tão puro pode até chegar ao ridículo… “Ruth” desvenda a descoberta do amor entre um jovem palhaço e uma vassoura, num universo de brincadeiras e revelação de um mundo que se abre para os quatro palhaços em cena.
*Não haverá bate-papo

Sobre o CRIA

O CRIA é uma organização sem fins lucrativos que, desde 1994, vem agregando pessoas e instituições públicas e privadas na promoção dos direitos da criança e do adolescente e na luta pelo enfrentamento às violências contra esta população. Seu trabalho é premiado e reconhecido internacionalmente, possui os títulos de Utilidade Pública Municipal e Estadual e ainda de Ponto de Cultura e Ponto de Leitura pelo Ministério da Cultura.

A partir da sua metodologia inovadora de arte-educação, em especial nas linguagens de teatro, poesia e clown, a ONG já promoveu a formação de mais de 2 mil adolescentes e jovens, moradores de bairros periféricos de Salvador – BA.

Mais informações: http://terceirofestivalcria.blogspot.com.br/

Fonte: Comunicação CRIA

set
16

CULTURA LGBTS TERÁ DESTAQUE NA VII MOSTRA POSSÍVEIS SEXUALIDADES

Postado por soteropolis
Foto: Jamile Amine

Foto: Jamile Amine

Maior panorama da diversidade sexual do Norte-Nordeste, a Mostra Possíveis Sexualidades chega a sua sétima edição de 23 a 28 de setembro, com atividades na Caixa Cultural e Instituto Goethe-Vitória. Idealizado e produzido pela Multi Planejamento Cultural, com o patrocínio da Caixa Cultural, o evento aponta para direção de ser um ponto de convergência da cultura LGBT, reunindo produções artísticas no cinema nacional e internacional, espetáculos teatrais, musicais, oficinas e mesas de discussão.

A inserção de novas linguagens artísticas, ampliando o caráter da mostra para além do audiovisual é uma inclinação da Possíveis Sexualidades em 2014. Para Juli Jambo, produtora cultural e administradora da Multi Planejamento Cultural, “nos últimos anos o público da mostra questionava porque outras expressões artísticas não estavam presentes na programação. Aos poucos foi ficando patente a necessidade de ampliar, não limitando o evento à exibição de filmes e curtas, mas sendo um verdadeiro panorama da cultura LGBT”. Assim, a programação de obras audiovisuais foi reduzida para tornar possível o incremento de outras linguagens, colocando a mostra na direção de tornar-se um festival de cultura LGBT.

De acordo com o curador da Mostra, Rodrigo Barreto, “nesta VII edição, a Mostra Possíveis Sexualidades está privilegiando o cinema nacional, exibindo cerca de 10 produções sobre a temática LGBT, produzidas integralmente no Brasil”.

Entre os destaques no cinema, os filmes brasileiros Amor Proibido, de Maciel Brum, que contará com a presença do protagonista Thierry Figueira, na exibição no dia 25 de setembro, às 20h e Tudo que Deus Criou para Mim, com Letícia Spiller, que também virá lançar a obra localmente, no dia 27 de setembro, às 20h. Entre as obras internacionais, o documentário Kidnnapped for Christ, (EUA) e a comédia francesa Gerentophilia. Na programação, a produção baiana “Pinta”, comemorativa de 15 anos do Dimenti, grupo de dança e teatro de Salvador, no dia 24 de setembro.

As artes da cena cada vez mais ganham espaço na mostra, com dois trabalhos dirigidos por Djalme Thurler: o musical O Mundo me Navega, que reúne as transformistas Mitta Lux, Rainha Loulou, Valerie O’Harah e o ator Duda Woyda e o monólogo Solo Almodóvar, com Simone Brault. Espetáculo de abertura da Mostra, no dia 23 de setembro, às 20h, Caixa Cultural, o musical é um desdobramento do Curso que Djama Thürler ministrou na UFBA, em 2014, chamado “Arte e Sociedade: travestis, transformistas e drag queens”. No espetáculo, as artistas da noite visitam o universo da cantora Maria Bethânia dividido em três eixos. No primeiro cantam as músicas de caráter político, da época em que atuava no Teatro “Opinião”, ao lado de Zé Ketti e João do Valle. No segundo, cantam e falam textos do universo “Esotérico”, de Bethânia e finalizam com o Bloco “Francisco”, dedicado ao universo do cantor e compositor Chico Buarque de Holanda. Outra montagem dirigida por Thurler integra a programação, o monólogo Solo Almodóvar, com a atriz Simone Brault.
Mesas Temáticas – As mesas temáticas irão discutir temas pulsantes, que envolvem toda sociedade em debate. No dia 26, às 15h, a mesa Casamento Igualitário refletirá sobre a união homoafetivo, reformas políticas e conquistas da comunidade LGBT. Para compartilhar a experiência exitosa da aprovação da lei do casamento igualitário na Argentina, foi convidado o jornalista e articulador político, que milita ao lado do Dep. Federal Jean Willis pela aprovação da versão brasileira da legislação, além do antropólogo João Junior, também militante do casamento homo afetivo no Brasil.

No dia 27, às 15h, o público interessado poderá refletir sobre o tema Transgênero – O reflexo da identidade – O que mudou da década de 70 aos dias atuais, que abordará as políticas públicas para os transgêneros, papel do SUS e do CRT, além de perfazer um passeio histórico da evolução deste processo da década de 70 aos dias atuais. Para pautar a discussão, a Mostra traz João Nery, primeiro transexual masculino do Brasil, autor do livro “Uma Viagem Solitária”, onde sua trajetória é revelada, além de Ângela Perez, psicóloga do Centro de Referência e Treinamento em DST (SP).

Maiores informações sobre a Mostra Possíveis Sexualidades no site: www.possiveissexualidades.com.br

Fonte: Crioula Mobilização Social e Comunicação

set
15

O CORPO CONTEMPORÂNEO E A SEXUALIDADE

Postado por soteropolis

Por Edinaldo Junior

O Soterópolis aproveitou o Interação e Conectividade 8, realizado pelo Dimenti, para falar da relação entre a sexualidade e a dança contemporânea. Com o tema ‘Arte, Tesão e Outras Transas’, os espetáculos que integraram a programação do evento trouxeram os questionamentos do corpo e da performance na construção desses desejos, que dizem sobre o outro e que determinam nossa relação com o mundo. Em especial, o espetáculo “Reproduction”, da húngara Eszther Salamon, trouxe a ideia de construção da identidade sexual e como reproduzimos certas imagens as vezes determinantes sobre o ser homem e ser mulher. Com bailarinos brasileiros, as figuras masculinas e femininas se mesclavam entre representações corporais distintas, que traziam para o público o convite do olhar. Com um palco disposto como um espaço aberto para circulação, o público ganhava o lugar cativo de voyeur: dos bailarinos e dos outros presentes na plateia, que podiam ser voyeurs das reações deles mesmos. Na reportagem, conversamos com Eszther Salamon e Daniela Guimarães sobre o Reproduction, e com Neto Machado, sobre o espetáculo Tombé, um exercício do desejo.

set
15

DESTAQUES TV EDUCATIVA DA BAHIA – 15 À 21 DE SETEMBRO DE 2014

Postado por soteropolis

SEGUNDA – 15.09

O FINO DO SAMBA NA GAMBOA

Eles são atores e foi no teatro que começaram a soltar a voz e cair no samba. Por esta e outras, o Samba na Gamboa desta semana está um verdadeiro espetáculo, com a presença da angolana Heloísa Jorge, do baiano Guilherme Silva e do paulistano Esdras de Lúcia, do elenco da peça “O Fino no Samba”. No espetáculo os atores interpretam três cantores da noite e convidam o público para um passeio pelo melhor do mais brasileiro dos ritmos. Além de contar para Diogo Nogueira sobre a relação das artes cênicas com a batucada dos tantãs, os artistas também comentam a influência da cultura africana em seus trabalhos. #Samba na Gamboa, segunda, 22h, TVE.

 

img_1917_medio

Foto: Divulgação

QUARTA-FEIRA – 17.09

COMUNICAÇÃO E MIGRAÇÃO

O programa Mais Direitos Mais Humanos desta semana apresenta duas experiências que colocam a comunicação como aliada dos Direitos Humanos. O Vale do Jequitinhonha tem um dos maiores índices de exploração do trabalho infantil de Minas Gerais. O projeto Se Liga Aí, do Oficina de Imagens, alia conteúdo sobre Direitos Humanos, Estatuto da Criança e Adolescente e trabalho infantil às linguagens fotográfica e videográfica para conscientizar a população. Já o  Instituto de Reintegração de Refugiados no Brasil (Adus) foi criado por jovens para atender refugiados de diferentes países. E tem também a banda Quarteto Bonanza.# Mais Direitos, Mais Humanos, quarta, 19h30, TVE Bahia.

 

EXÍLIOS E CANÇÕES

A TV Brasil / TVE Bahia estrearam um novo programa, o “Exílios e Canções”, que nesta quarta conta a história do grupo Dzi Croquetes, que no começo dos anos 70 usou a irreverência para driblar a censura da ditadura militar e pregar a liberdade de expressão. O entrevistado é Ciro Barcelos, coreógrafo, diretor, cantor e bailarino, o “caçula” dos Dzi Croquettes, composto por 13 homens barbudos que se vestiam de mulher. Ciro conta como foi o sucesso do grupo e a sua trajetória em um período marcado pelo veto aos direitos, opressão policial e censura – tanto aos canais de informação quanto às produções culturais. # Exílios e Canções, quarta, 23h, TVE Bahia.

 

CARLOS PITTA NO PERFIL & OPINIÃO

 

Boa música e boa conversa, as duas genuinamente brasileiras. É o que promete o encontro em Denny Fingergutt e Carlos Pitta, no Perfil & Opinião desta quarta. Pitta,cantor e compositor com mais de 30 anos de carreira e uma trajetória totalmente voltada para música popular brasileira, nasceu em Feira de Santana e estreou profissionalmente em disco em 1981, com o premiado “Águas do São Francisco – Lendas”, disco totalmente feito dentro da linguagem do cordel de herança medieval. Na entrevista Pitta conta sobre seu começo de carreira e sobre as parceiras feitas no decorrer de mais de três décadas de muita música.# Perfil & Opinião, quarta, 22h, TVE Bahia – reprise domingo 16h30.

 

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

 

QUINTA-FEIRA – 18.09

O QUE É FEIO ?

O Soterópolis dessa quinta-feira traz uma reportagem especial sobre a relação do feio com o mundo das artes. Do ponto de vista filosófico, o que seria o feio ou a representação do feio ? O belo é o bom? O feio é o mau? Um estudo mostra a trajetória do feio nas artes para entender como ele é visto hoje, seja como o grotesco, o horror ou o trágico. Mas tem também reportagem sobre os grupos de teatro do interior da Bahia, suas referências culturais e os desafios de se estabelecer no interior, a exemplo do grupo Finos Trapos de Vitória da Conquista. Pra fechar, um passeio pelos albergues descolados de Salvador ! #Soterópolis, quinta-feira, 22h, TVE – reprise domingo 17h30.

 

SEXTA 19.09

ANIMAIS HUMANOS

Os animais, principalmente cachorros, viraram personagens de diversos programas de televisão. Denúncias de maus-tratos, cães que salvam crianças, a relação de amizade entre o animal de estimação e seus tutores são temas recorrentes de reportagens. No programa Ver TV o depoimento de Eduardo Sallouti, produtor de cinema e de séries de TV, entre as quais Missão Pet, exibida pelo National Geographic, Silvana Andrade, diretora de jornalismo da Agência de Notícias dos Direitos dos Animais (ANDA) e o psicanalista e escritor Rafael Daud, que analisa a tendência de se humanizar os animais, atribuindo-lhes hábitos e comportamentos típicos dos humanos.# Ver TV, sexta-feira, 19h30, TVE.

 

SÁBADO 20.09

CINCO ANOS PARATODOS

O programa Paratodos  celebra cinco anos no ar e faz uma edição especial que tem uma reportagem sobre a exposição do Castelo Rá-tim-bum no Museu da Imagem  e do Som, em São Paulo, e, no estúdio, uma entrevista com os idealizadores do Projeto Marupá. Com foco nas tradições brasileiras, os repórteres do programa rodam o país para mostrar comunidades que preservam manifestações como o jongo, a congada, o frevo, o boi e o artesanato típico. Mas a cultura da periferia das grandes cidades também é destaque no programa, com rap, graffiti e poesia de protesto. Paratodos, sábado, 16h, TVE.

 

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

 

CAYMMI É 100

No Especial TVE deste sábado o show da cantora baiana Cláudia Cunha em homenagem ao centenário do cantor e compositor Dorival Caymmi, que em 2014 completaria 100 anos. Claudia Cunha é um dos novos nomes da música brasileira e uma das principais artistas da cena musical da Bahia. A estréia do projeto aconteceu no Teatro Castro Alves, e o espetáculo idealizado pela artista foi dividido em três momentos : o primeiro deles é “o Mar” com suas canções praieiras, o segundo é dedicado às mulheres cantadas pelo mestre e o terceiro é inspirado na Bahia de Caymmi, com canções que falam do jeito baiano,  como “Você já foi à Bahia?”.# Especial TVE Bahia, sábado, 15h, TVE.

 

 

 

Governo da Bahia  ©2014 | IRDEB - Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia. SECOM - Secretaria de Comunicação Social