IRDEB - Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia
TV Rádio Notícias Interatividade

Bira Corôa promove pelo quinto ano o Dia da África na Bahia

O dia da África, comemorado dia 25 de maio, representa o dia da Libertação da África, que simboliza a luta e combate dos povos do continente africano pela sua independência e emancipação. Na Bahia a data também é celebrada tanto pelo seu valor histórico-cultural como pelas lutas de políticas afirmativas para os afrodescendentes, já que é o Estado mais negro fora do continente africano.

Em 2011 a ONU (Organizações das Nações Unidas) divulgou que este será o Ano Internacional para Descendentes de Africanos. Procurando valorizar e promover ainda mais o legado que a África deixou e deixa para as civilizações que se constituíram com o seu povo.


Desde 2007 o deputado Bira Co rôa vem promovendo essa data, trazendo representantes de países africanos, embaixadores, ministros, ampliando as discussões que a contextualizam e criando novos debates pela reparação e promoção dos afrodescendentes na sociedade baiana.

Em 2010, com o tema Avanços e Desafios das Políticas de Ação Afirmativa e Cotas, foram realizados Ciclo de Palestras em Salvador e Camaçari nas escolas públicas de ensino médio e faculdades, além de Exposições da cultura do Benin e de Angola em Camaçari e Cachoeira e a Sessão Especial na Assembleia Legislativa da Bahia que também contou com as presenças de embaixadores africanos.

Desde quarta-feira (16/03) em Brasília, Bira Corôa tem reforçado esse compromisso com as embaixadas na capital federal para as comemorações deste ano na Bahia. Hoje (quinta-feira, 17/03) já se reuniu com as Embaixadas da Nigéria e do Zimbábue e agora a tarde estará com o presidente da Fundação Palmares, Elói Ferreira, e na Embaixada de Cabo Verde.

Fonte: Ascom/Bira Corôa

Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA)
Gabinete Deputado Bira Corôa (PT/BA)
71 3115-7150

Tags: ,

9 Comentários para “Bira Corôa promove pelo quinto ano o Dia da África na Bahia”

  1. sidney argolo disse:

    sabemops da importancia de se promover o dia da áfrica , da consciência negra e outros titulos mais enquanto estamos datando os dias importantes jovens morrem e perdem a sua identidade na falta de apoio em projetos que ficam esquecidos e sem apoio , eu mesmo sou um grande exemplo ao trabalhar no bairro da paz e não contar com nenhuma estancia política que ajude a manter uma entidade deixada por uma yalorixá e buscar incentivo para que a nossa creche escola possa a tender com igualdade de direitos esta população tão excrachada pela midia .tendo que suportar o ônus de trabalhr em pró da juventude sem apoio

  2. Silvio Marcos Dias Santos disse:

    Nada mais justo, honrroso e dígno o reconhecimento expresso pela ONU de celebrar esse ano de 2011 como o Ano Internacional dos Descendentes de Africanos. Me sinto inluído e estou certo de que como eu muitos igualmente sentem que finalmente estamos chegando mais perto de um debate maduro e colhendo os frutos disso. Evidente que isso ainda precisa se traduzir em ações concretas como o é a questão das cotas, ainda tão atravessada na garganta de muitos que dicursam no vazio e por vezes a trata sem o devido respeito como acontece com muitas das nossas universidades públicas que resistem em dividir de forma justa as oportunidades vilipendiadas dos negros, reiterando a absurda visão do colonizador, que não admite que o tempo passou e que a sociedade precisa recuperar seus atrasos históricos.

    Esse ano estarei sempre usando alguma coisa que remeta ao visual e à cultura Africana. Quem sabe se outros também o fizesse poderíamos dar uma maior visibilidade a celebração desse ano tão importante para nossa nossa bonita raça!

    Saudações a todos os negros do Brasil que reconhecem e se orgulham da sua africanidade! Lutando por dias melhores certamente os alcaçaremos, já que sem luta isso não se concretizará! Abaixo ao preconceito racial; a sociedade precisa superar seu estado de ignorância!!!

  3. Jane Marcia Madureira Arruda disse:

    Parabéns por mais esta iniciativa em pró a população negra. Eu sou uma cidadã negra brasileira me orgulho de ter um político como você, que reconhece e valoriza a nossa negritude.
    Jane Marcia

  4. Ailton Costa disse:

    Fico feliz em saber que este trabalho tem continuidade e divulgação na Bahia.
    Sou Prf. de História e Negro,gostaria de maiores detalhes para participar de tudo.
    Parabéns e um abraço.
    Ailton Costa.

  5. GOSTARIAMOS DE SABER DESTE MOVIMENTO SE NESTA DATA A EVENTOS , SOMOS DO GRUPO MUSICAL BROT E PRODUZIMOS O CANTOR LAZZO MATUMBI NO ENTEANTO GOSTARIAMOS DE MANDAR PROPOSTA PARA SHOW, PARTICIPAÇÃO EMFIM UM GRANDE REPRESENTANTE NA CIDADE SALVADOR BAHIA,
    CONTATOS 071 – 3017-9999 / 8823-4710/9924 3507 OBRIGADO PELA ATENÇÃO.

  6. Deph Paul Zulu Nation disse:

    Hoje aqui em São Paulo na Assessoria de Cultura para Gêneros e Etnias teve a cerimônia de lançamento do livro da campanha realizada em 2010, Consciência Negra em Cartaz, e da Agenda 2011 para o Ano Internacional Afro-descendentes.
    Fico contente e feliz pela a iniciativa ai na Bahia votos de muito sucesso,Deph Paul King Zulu Nation USA.

  7. José Marcos Barreiros Alves disse:

    Ah, como seria bom que a 10639 pudesse realmente ser implementada nas escolas. Africanidade no Brasil ainda se resume a estereótipos. A escola aceita facilmente a “beleza” da cultura grega com seus deuses e mitos, de certa forma transferidos aos heróis de Histórias em Quadrinhos mas, quando o assunto a ser tratado é a cultura africana e suas reminiscências no Brasil, ainda acontece o ritual de se fazer o sinal da cruz. Religiosidade de origem africana, por exemplo, fica reduzido a “macumba”, que usado pejorativamente, traduz a ignorância inclusive de alguns formadores de opinião e a mídia televisiva dissemina com violência absurda.
    Então, na escola, afirmo de experiência própria, é difícil ainda falar de Cultura Negra, sem resumismos. Recontar a história do Brasil seria o ideal, afirmando a verdadeira participação do negro na construção da sociedade brasileira. Negro não pediu para vir. Veio. Seu mantra, seu nome foi sufocado pelo batismo ocidental cristão. Sua memória arquivada. Esse arquivo precisa ser vasculhado.

    Que o Ano Internacional dos Descendentes Africanos possa realmente ser um ano de boas colheitas no campo de Africanidade e Afro-descendência no Brasil. Ou isto, ou a própria Constituição não terá sido efetivada.

    Abraços
    Marcos

  8. Edson Costa disse:

    Dia da África é importante, para compreendermos as muitas Áfricas que temos na Bahia e no Brasil, sua magnitude de contribuições culturais, sociais, científicas, históricas, heróicas, econômicas, arquitetônicas, agrícolas, medicinais, ambientais, políticas e tantas outras, escondidas pelo racismo perverso que ainda insiste em dividir o Brasil em dois, resultado o desenvolvimento brasileiro fica pela metade, atrapalhado pela mediocridade de alguns ou muitos que ainda insistem em fazer investimentos corruptos e unilaterais nos potenciais e vocações que temos.
    A Comemoração é uma ato político, que precisa trazer sobre tudo as grandes contribuições dps Africanos e seus dependentes no Brasil e na Bahia e citar perspectivas de investimentos, que temos ainda por fazer, em um Brasil, mais desenvolvido e igual.

    Edson Costa

  9. Evanuzia A negona de Macajuba-ba disse:

    Valéu grande companheiro Bira!!!
    Muito boa sua iniciativa! Fico feliz pela sua valorização com o povo Áfro decendente, por que não dizer, “pela minha Raça!”
    Grande axé!!!!
    Eva.

Deixe um comentário

 
Governo da Bahia  ©2021 | IRDEB - Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia. Secretaria da Educação do Estado da Bahia.