IRDEB - Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia
TV Rádio Notícias Interatividade

Concerto Mães Ancestrais, com Inaicyra Falcão

Foto: Sidney Rocharte

Foto: Sidney Rocharte

No dia 30 de janeiro, as 20h30, no Teatro Sesc-Senac Pelourinho a intérprete soprano dramática Inaicyra Falcão realiza o Concerto Mães Ancestrais, no repertório músicas do CD cd Okan Awa (Nosso Coração), disco que projetou a artista no cenário musical nacional ao interpretar cânticos tradicionais yorubá adaptados ao universo lírico. O concerto contará também com a participação da Orquestra de Berimbaus Afinados Dainho Xequerê (OBA DX), que irá executar músicas autorais e de domínio público. Márcio Pereira, graduado em música pela Universidade Federal da Bahia e Mestre em Artes Musicais pela University of New Orleans é quem assina a direção musical do concerto. Um encontro que promete emocionar, mostrar a riqueza e a diversidade da musicalidade baiana. O evento é uma realização da Acosta Produções Artísticas, empresa de produção cultural com foco na promoção das artes negras.

SAIBA MAIS:
O cd Okan Awa foi lançado em homenagem ao centenário de nascimento da avó de Inaicyra, Maria Bibiana do Espírito Santo, a célebre yalorixá Mãe Senhora que foi líder de um dos mais representativos terreiros do Brasil, o Ilê Axé Opô Afonjá. Inaicyra é descendente da tradicional família Asipa, uma das linhagens fundadoras do reino africano de Keto e o concerto é uma homenagem a todas as Mães Ancestrais. Os cânticos possuem letras em português e yorubá, isto é, a língua da tradição religiosa, preservada pela comunidade afro-brasileira, legado cultural do povo nagô.

A Orquestra de Berimbaus Afinados Dainho Xequerê surgiu em Salvador e foi fundada por Dainho Xequerê, na capoeira conhecido como professor Xequerê do Grupo Maré. A ideia da orquestra de berimbau afinados surgiu quando Dainho ao trabalhar com Ramiro Musoto aprendeu a afinar os berimbaus, revela ele: “aprendi o tamanho de cada berimbau com as notas, utilizamos cordas de pianos e desde o ano de 2011 estamos com esse trabalho de OBA DX, com o espetáculo “Uma corda e vários sons”, nos teatros de Salvador e fora da capital.”

SERVIÇO:
INAICYRA FALCÃO NO CONCERTO MÃES ANCESTRAIS, PARTICIPAÇÃO ESPECIAL OBA DX
LOCAL: TEATRO SESC-SENAC PELOURINHO
QUANDO: 30 DE JANEIRO
HORÁRIO: 20h30min
VALOR: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)

CURRÍCULO INAICYRA FALCÃO
Inaicyra é cantora lírica, professora doutora, livre-docente, é pesquisadora das tradições africano-brasileiras, na educação e nas artes performáticas. Graduada em Dança pela Universidade Federal da Bahia, com mestrado em Artes Teatrais pela Universidade de Ibadan na Nigéria, doutora em Educação pela USP e livre docente na área de Práticas Interpretativas pela Universidade Estadual de Campinas.

A técnica e o aperfeiçoamento vocal de Inaicyra foram adquiridos por meio de cursos sobre a arte lírica com professores como Suzel Cabral, Neide Thomaz, Glédis Spiere, Indira Menezes e a maestrina Vera Olivero. Participou do coral da Universidade de Ibadan com o maestro Oyesiku e a sua primeira apresentação solo foi no Departamento de Artes Teatrais na Opereta Royal Jester de Smyth Cooper no papel da princesa, em 1986. Enquanto, que o primeiro primeiro recital foi realizado pela ABAL-Associação Brasileira “Carlos Gomes” de Artistas Líricos, no Centro de Ciências, Letras e Artes de Campinas, em 1992. Nessa época, acredita que devido a sua vivência com a tradição dos cantos negro spiritual e os cantos da tradição dos orixás, inspirou-se em uma forma de comunicação, a transcendência na interpretação dos poemas míticos yoruba os orikis. No dia 31 de março de 2000 o resultado desse estudo foi concretizado com o CD Okan Awa: Cânticos da Tradição Yorubá em homenagem ao centenário de Maria Bibiana do Espirito Santo, Mãe Senhora, uma das iyalorixás do Terreiro do Axé Opô Afonjá, no Teatro Castro Alves. As adaptações foram realizadas por Inaicyra Falcão, Beto Pelegrino e Paulo Adache. Inaicyra considera que Okan Awa tem contribuído e inspirado outros profissionais no aprofundamento da reflexão do trabalho do artista cênico, orgânico e plural, o qual ancora-se na dinâmica de uma cultura tradicional e contemporânea, recriando uma memória, uma identidade”. Ela tem participado em atividades artísticas, congressos nacionais e internacionais. Em outubro de 2014 lançou no teatro do Icba o concerto Inaicyra em 3 Tempos, onde interpretava além das composições do cd Okan Awa, Negro Spiritual e Música Erudita Brasileira inspirada em lendas indígenas e afro-brasileiras. Este concerto integrou em novembro de 2014 a programação da semana da Consciência Negra do Espaço Xisto Bahia e em dezembro do mesmo ano Inaicyra foi convidada para realizar abertura do festival A cena Tá Preta Ano V, festival de arte negra promovido pelo Bando de Teatro Olodum. Em maio de 2015 lançou, no Espaço Cultural da Barroquinha, o concerto Mães Ancestrais como forma de homenagear Mãe Senhora e Obatossi uma das fundadoras do lendário candomblé da Barroquinha, considerado o primeiro candomblé da Bahia e agora retorna aos palcos com participação da OBA DX. Em 2016 Inaicyra comemora 30 anos de canto lírico.

Ficha técnica:
Intérprete: Inaicyra Falcão
Participação especial: Orquestra de Berimbaus Afinados Dainho Xequerê (OBA DX)
Direção Musical do concerto: Márcio Pereira
Violão: Márcio Pereira
Percussão: Dainho Xequerê
Programação Visual: Sidney Rocharte
Fotografia: Sidney Rocharte
Técnico de som: Jeferson Souza
Diretor de vídeo: Ailton Pinheiro
Iluminação: Nando Zâmbia
Maquiagem: Mário Farias
Turbante: Isa Oliver
Figurino: Jorge Andrade
Assistentes de Produção: Karla Koimbra
Coordenação Geral e Produção Executiva: Josi Acosta
REALIZAÇÃO: ACOSTA PRODUÇÕES ARTÍSTICAS

Contato: (71)993702929/ 987795709/ acostaproducoesartisticas@gmail.com

Tags: ,

Deixe um comentário

 
Governo da Bahia  ©2020 | IRDEB - Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia. Secretaria da Educação do Estado da Bahia.